sexta-feira, novembro 18, 2011

Bases de Dados...

Segue abaixo informações técnicas dos Bancos de Dados, utilizados no Ambiente Computacional.
DB2
É um relational database management system (RDBMS), uma tecnologia de Banco de Dados Relacional que começou a ser distribuída no início da década de 80 em ambientes de médio e grande porte, desde então, a família DB2 tem crescido atingindo as plataformas UNIX e PCs. A maioria do RDBMS usam Structured Query Language (SQL), um data language poderoso e de fácil uso.
ORACLE/RDB
Anteriormente conhecido como DEC-RDB uma vez que era um produto pertencente a Digital Equipament Corporation (DEC), é um excelente Sistema Gerenciador de Banco de DadosRelacional. Confiabilidade, escalabilidade, segurança, disponibilidade, integridade, sustentabilidade entre outros, são atributos deste gerenciador, porém duas característica se destacam de outros Banco de Dados: Flexibilidade na localização dos dados: Suporta tanto single-file como multi-file database que possibilita a separação dos objetos (tabelas, índices...) em localizações diferentes, o que facilita em nível de backup e diagnóstico de problemas. Gerênciamento Centralizado de Banco de Dados que permite múltiplos bancos sejam gerenciados por um único gerenciador. A maior utilização do RDB é para o desenvolvimento de sistemas comerciais e sistemas onde a tolerância a falhas é quase inaceitável. Na Unicamp por exemplo, os sistemas de RH, Almoxarifados, Biblioteca (Consulta a Periódicos) rodam em máquinas Alpha 64 bits (Compaq) com S.O. OpenVMS e gerenciador ORACLE-RDB.
Em 1994 o RDB passou a fazer parte da Oracle Corporation passando assim a ser denominado ORACLE-RDB. Desde então, a Oracle vem aprimorando este produto.
Dentre as melhorias, citamos sua capacidade em trabalhar em tecnolgia Client/Server suportando a inclusão de drivers ODBC for ORACLE-RDB e SQL/Services, o qual concede ao seu PC e usuários desktop em MS-DOS, MS Windows, Macintosh, OS/2, OpenVMS e sistemas Sun a oportunidade de acessarem bases de dados em ORACLE-RDB; ferramentas gráficas (GUI - Graphical User Interface) para criar e testar comandos em SQL de grande complexidade; tecnologia pioneira lançada pela Oracle chamada Very Large Memory (VLM) para transações e aplicações de suporte a decisão; backups/restores online; cargas de dados paralelas; Hot Standby para sistemas que não toleram falhas; ORACLE-RDB suporta especificações XA X/Open para processamentos de transações distribuídas.
Segundo a Oracle Corporation, o RDB é um dos softwares industriais de maior sucesso já adquiridos.
INFORMIX
É uma servidor de Banco de Dados que combina alta-disponibilidade, performance de processamento de transação on-line (OTLP) com capacidade multimedia. OnLine distribui e administra a concorrência de processos enquanto mantem o isolamento transacional, gerenciando seus próprios recursos de memória compartilhada e I/O em disco.
Um suporte adicional dado pelo INFORMIX-OnLine/Optical permite que os dados estejam subsistemas óticos. O INFORMIX-STAR diagnostica a performance OnLine num ambiente cliente/servidor. O INFORMIX-TP/XA permite usar OnLine o servidor de Banco de Dados como um Gerenciador de Recursos dentro de um ambiente X/Open.
Existem outros produtos INFORMIX, como o DB-Access que é um utilitáro que permite acessar, modificar e recuperar informações do Banco de Dados Relacional OnLine.
MySQL
O MySQL é um sistema de gerenciamento de bancos de dados relacionais de código aberto que vem obtendo uma popularidade cada vez maior. Conhecido por sua velocidade, confiabilidade e facilidade de uso, o MySQL é uma ótima opção para a criação de bancos de dados para Web e aplicações sofisticadas.
PostgreSQL
O posgres é um banco de dados criado em 1986 em Berkeley na Universidade da Califórnia, como sucessor do INGRES, banco de dados relacional, da mesma universidade pelo Prof. Michael Stonebraker e apoiado pelo DARPA (Denfese Advanced Research Projects Agency), pelo ARO (Army Research Office) e pela NSF (National Science Foundation). Em 1995 o postgres foi renomeado para postgres95. Foi acrescentado suporte a linguagem SQL, se otimizou o código tornando ele 30% mais rápido e passou a ser distribuído na internet como open-source. Em 1996 se tornou claro que o nome Postgres95 não sobreviveria ao tempo e ele foi renomeado para PostgreSQL.
O postgreSQL organiza os dados segundo o modelo relacional, que é o mais utilizado hoje em dia (Oracle, DB2, interbase, Microsoft SQL Server, Sybase, etc) são todos bancos de dados relacionais). Ele é também um modelo relacional estendido, oferecendo objetos, OIDs (Identificador de Objetos), objetos compostos, herança múltipla, versões, dados históricos, e uma linguagem de consulta, POSTQUEL, extensão da linguagem do INGRES, QUEL.
Possui também banco de dados cliente-servidor, onde você tem um programa que gerencia o acesso e cuida da integridade dos dados, e outro que vai a interface com o usuário. O mais interessante nesse esquema é que o servidor e o cliente não precisam estar rodando na mesma máquina.
O sistema foi escrito em C e possui cerca de 180.000 linhas de código.
Uma da características mais importantes do Postgres é a armazenar dados históricos. Pode-se fazer uma consulta sobre o estado do banco de dados em um determinado momento do passado. Isto é possível devido à utilização de discos ópticos que armazenam o estado do banco de dados, depois de cada alteração. Um exemplo de utilização dessa característica é uma consulta sobre o custo de um determinado produto a um ano atrás.
Oracle
Oracle é um poderoso Banco de Dados Relacionais que inclui extensões orientadas a objetos significativas e está se destacando pelo seu inovador modelo de relacionamento de dados e linguagem de programação servidora, que é o PL/SQL. Uma rede (LAN) é suficiente para comportar um Banco de Dados Relacional (DBMS) de tecnologia Cliente/Servidor (C/S) como o Oracle. Em linhas gerais, esta tecnologia tem como característica principal a divisão de tarefas entre o cliente, a estação de trabalho que ordena através das aplicações o acesso aos Bancos de Dados, e o servidor, que executa tarefas.
A Linguagem SQL tem como grandes virtudes: sua capacidade de gerenciar índices sem a necessidade de controle individualizado de índice corrente, algo muito comum nas linguagens de manipulação de dados do tipo registro a registro; sua capacidade de construção de visões, que são formas de visualizarmos os dados na forma de listagens independente das tabelas e organização lógica dos dados e, ainda, a capacidade que dispomos de cancelar uma série de atualizações ou de as gravarmos, depois de iniciarmos uma seqüência de atualizações.

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin