sexta-feira, julho 10, 2009

Porque é que um bug é um bug?



Esta é uma daquelas perguntas que todos os trabalhadores em tecnologias, e em especial os programadores, deviam saber a resposta!

Embora a maioria saiba que tem algo a ver com um bicharoco (bug) que apareceu dentro de um computador e causou uma falha no sistema, nem todos sabem a verdadeira (e correcta) razão pela qual se apelidam de bugs os erros em programas informáticos ou em periféricos electrónicos.

A explicação pode ser encontrada aqui. No entanto, aqui fica uma curta resenha.

Em 1947, no Laboratório de Computação da Universidade de Harvard, foi detectado um erro no computador Mark II, que revelou ter sido causado por uma traça que ficou entalada num relé.

Isso fez com que tivesse sido o primeiro bug documentado. Aliás, tão documentado que ainda hoje a traça se encontra colada ao livro de registos!

No entanto, o que aconteceu apenas fez com que os termos bug (erro) e debugging (correcção de erros) deixassem de fazer parte apenas do léxico restrito à comunidade mais técnica para começar a fazer parte do léxico dos mortais comuns.

O mais engraçado é que o termo bug faz parte do léxico das engenharias desde o século XIX.

Na realidade, a palavra bug é um diminutivo de Bugbear, que é uma criatura do folclore tradicional usada para assustar as crianças. O termo Bugbear era utilizado por engenheiros durante o desenvolvimento de protótipos quando surgiam erros inexplicáveis. A explicação possível era a culpa ser dos espíritos...

O termo bug (ou bogey), da palavra bugbear, pode ser encontrado no longínquo século XV, onde era utilizado como sinónimo de diabo ou fantasma.
Resumindo, um bug não tem nada a ver com insectos mas sim com espíritos malignos :-

Fonte http://pontodomira.blogspot.com/2007/06/porque-que-um-bug-um-bug.html

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin